quarta-feira, 10 de julho de 2013

Colorama: Troca de 007, mas a voz continua a mesma


Canais pagos têm funcionado bem para filmes, como a TV aberta funcionava antigamente. Não me refiro aos canais premium do tipo Telecine ou HBO, mas aqueles comuns, com uma programação mais obscura.

Como “mais obscura”, leia filmes pouco óbvios, daqueles que se a gente ainda viu foi por falta de oportunidade. Ou até aqueles que por vontade nunca assistiríamos, mas estão ali, na nossa frente, por que não?

Esses dias o Space está passando uma ininterrupta maratona de James Bond. Tenho perdido o começo de todos e dormido antes do desfecho dos mesmos, mas está legal.

Não sei se o canal disponibilizou o áudio original com legendas. Sem forças pelo horário, deixo rolar, enquanto o sono não vem, embora deteste dublagens, por um dos motivos que conto a seguir.

Achei muito bizarro que de 007 Contra o Satânico Dr. No (Dr. No, 1960 de Terence Young) que vi no domingo (Ei! É uma maratona mesmo, que tem demorado dias!) a 007 - Permissão para Matar (Licence to Kill, 1989 de John Glen) o ator, como sabemos, foi trocado quatro vezes, mas a voz continuou sendo a mesma.

Sean Connery, George Lazenby, Roger Moore e Timothy Dalton falando exatamente igual! Na verdade, sob com a voz do dublador Mário Seixas, o mesmo do desenho Batman 90’s e de tantos outros atores.

O próprio ator disse numa entrevista que dublou 16 filmes do 007 de uma vez por quatro meses! Essa redublagem (exceto os do Pierce Brosnan), deve ter ocorrido nos anos 90, é a mesma dos (ótimos!) DVDs restaurados que excluíram as vozes variantes de quando a cine série foi exibida na Globo.

Se cada ator imprimiu seu estilo ao agente, muito estranho reconhecer a mesma voz, independente de qual seja. Embora, creio que quem aceita dublagem não se importe, ou perceba isso...

Dai fiquei na dúvida quem estaria literalmente por trás do atual Daniel Craig. 007 - Quantum of Solace (2008 de Marc Forster) marcou a estreia das aventuras dubladas no cinema!

Craig fala com o sotaque de Garcia Junior. James Bond com a mesma voz do Lion dos Thundercats, He-man e tantos outros heróis...

Veja também:
Do lurex ao popeline: Surpresa em Jem e As Hologramas
Versão brasileira: regionalismo


0 comentários:

Related Posts with Thumbnails