quinta-feira, 31 de julho de 2008

Da obra de Bernardo Guimarães

A Escrava Isaura foi uma das primeiras telenovelas do Brasil a ser exibida em Portugal. Tremendo sucesso, é minha lembrança mais antiga da TV.

Pelo menos algumas imagens dos capitães do mato ficaram retidas em meu cérebro. Pra minha mãe até hoje o Roberto Pirillo é o Tobias e a Neuza Borges muito malvada!

A Lucélia Santos? Bem, a Lucélia Santos foi citada aqui, na última vez em que foi vista longe da China.


[Ouvindo: Profondo Rosso (Re-mix Version) – Goblin]

Numa galáxia nem tão distante assim

Sam Jones em Flash Gordon, 1980.

Como nem só o museu vive de passado, seu site pessoal é praticamente dedicado ao herói da ficção científica, seu único papel famoso.

Vale lembrar que Jones não desbravou só o espaço sideral contra o maquiavélico imperador Ming, mas o ramo das celebridades masculinas a posaram peladas. Foi destaque duas vezes da revista Playgirl, em 1975 e reeditado após o barulho do filme na mídia.

Há algumas destas fotos aqui. Link só pra moçoilas adultas (não necessariamente casadoiras), lógico!


[Ouvindo: Não deixe o samba morrer – Alcione]

Turnê da marofa

Depois de quase 25 anos, Cheech e Chong voltam a ser a dupla com maior quantidade de THC no cérebro! Eles irão pra estrada numa peça que teria o sugestivo nome "Hey, What's That Smell?”, mas acabou ficando "Light Up America".

Ícones da comédia hippie dos 70, estrelaram alguns filmes relativamente famosos sobre maconha, como “Queimando Tudo”. Uma das últimas aparições deles na tela grande foi em Altas Horas de Martin Scorsese.

Separados, Cheech participou de várias películas de Robert Rodriguez e Chong ganhou papel fixo no seriado That’s 70’s Show.

Tem mais no G1.


[Ouvindo: Who's That Girl – Madonna]

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Sobre coelhos e lobos

O foderoso Burt Reynolds


[Ouvindo: Easy Macumba – Armando Sciascia]

O senhor dos botões

Acho que é um daqueles talentos inúteis ao qual a personagem de Rose McGowan se referia em Planet Terror.

Essa imagem é de um doido com extrema habilidade na Lousinha Mágica, ou Etch-a-Sketch. Quem já brincou sabe que controlar o traço ali é quase impossível, porque é feito girando os dois botões grandes.

E ainda, depois da trabalheira, basta chacoalhar e o desenho é apagado! Há centenas de desenhos assim, com a mesma técnica, na galeria dele no Flickr.


[Ouvindo: Snow (Hey Oh) – Red Hot Chili Peppers]

Era uma vez três lindas garotas...

Antes do DVD, quando se consegue ter (em prazer quase egoísta) TODOS os episódios de nossas séries favoritas para a eternidade em qualidade digital (o que ainda não é o caso de As Panteras), dava um certo trampo reviver aquelas emoções da TV.

Precisávamos de imaginação em livrinhos de bolso como este As Panteras Acorrentadas. É a adaptação do episódio famoso Angel’s in Chain, quando as garotas de Charlie acabam rodando logicamente de forma injusta e submetidas à vida desumana e aos trabalhos forçados da cadeia. E Sim! Mesmo naquele inferno havia tempo pra deixar a escova em dia!

Aproveitando o ensejo, nesta primeira temporada, com a formação original, minha pantera favorita era a Jill, só porque ficou sendo a mais célebre por méritos próprios, embora o programa tenha sido feito pra a Sabrina brilhar. Mas a Kelly é a mais bonita. Sempre!


[Ouvindo: Chick Habit – April March]

terça-feira, 29 de julho de 2008

O sedutor fanfarrão

Jorge Guinle, ou Jorginho Guinle, herdeiro de uma das maiores fortunas nacionais, sempre ocupou páginas e páginas das mais variadas publicações brasileiras. Mesmo falido, precisando trabalhar apenas aos 80 anos, era praticamente impossível não se achar artigos sobre sua nada privada vida sentimental.

De vergonhosa deselegância, alimentou a imprensa por décadas a fio contando com quem tinha ido pra cama. Todas claro, divas hollywoodianas, a quilômetros de distância ou já falecidas para poderem se defender.

Gabava-se de ter tanto dinheiro a ponto de nunca precisar trabalhar, e esse dinheiro não serviu para aprender uma regra básica da educação: nunca abrir o bico sobre histórias de alcova. E mais! Tantas aventuras e só foi ter filhos ou casar justo com as mais desconhecidas das mulheres do planeta!

Vêem-se fotos onde aparece ao lado de celebridades, mas a presença dele é quase sempre como típico fã. Sempre está obviamente no papel de cicerone das famosas, como realmente foi por causa do Hotel Copacabana. Daí a poder relatar possíveis intimidades...

Teve a cara de pau de revelar ter sido amante de Rita Hayworth por meses, embora entre as poucas imagens deles juntos está a que ilustra este post, num carnaval, bem de papagaio de pirata. Nem tão pouco foi citado em qualquer biografia a respeito da eterna Gilda.

Mais duvidoso é seu affair com Marilyn Monroe. Nenhum biógrafo aponta qualquer relação dela com algum magnata brasileiro, nem retratos que apontem a mínima divisão de ambientes, fora, óbvio, os imaginativos relatos do senhor Guinle.

Certa vez um sujeito tirou uma foto ao lado de Marilyn durante as filmagens em locação de Torrentes de Paixão (Niagara, 1953). Foi o suficiente para após sua morte ocupar bastante espaço na imprensa americana se dizendo ser seu secreto 4º marido. Perto disso, as diabruras do brasileiro parecem inofensivas, mas não deixam de ser constrangedoras.

Em seu livro Hollywood Nua e Crua, a correspondente Dulce Damasceno de Brito, a única do Brasil a viver em Hollywood nos anos dourados, comenta o romance de Jayne Mansfield com um brasileiro, o paulista Nelson Sardelli. E só!

Sem qualquer outro tipo de registro além da retórica do próprio, Jorge Guinle fica sobretudo como mais um bon vivant de pouca elegância e/ou prodigiosa imaginação.




As voltas do Incrível Hulk

O Incrível Hulk de ladinho ao deus Thor no You Tube.

[Ouvindo: Enter Space Capsule – Gerling]

As aparências enganam

Vi isso no supermercado e por pouco tempo fiquei alegre relembrando a farra das samambaias penduradas nas salas ou varandinhas durante toda uma boa época da classe média brasileira.

Foi bonita a festa Pá, até alguém bem sem graça inventar que samambaia era cafona, e ponto! As pobrezinhas sumiram do mapa. A pá de cal foi certamente a abolição do xaxim. Anti ecológico, a Wikipédia o chama de feto arborescente de alguma família de nome muito complicado de ser pronunciado.

Pois é minha senhora, isto parece mas não é! tipo Denorex mesmo! Na verdade trata-se de vasinho de plantas feito a partir de pneus velhos!!! Um xaxim fake! De mentirinha, faz-de-conta...

Fantástico! Não sei se fará o mesmo efeito que o velho e bom xaxim (orgânico coisa e tal), e o preço também, se não me engano é bem salgadinho, quase 30 mangos, mas eu toparia ter uma samambaia verdejante na sala se não tivesse os gatos mais traquinas do planeta.


[Ouvindo: Brave New World and Score – Massive Attack]

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Eduardo Davidson – Le Chien

Eduardo Davidson, um mexicano provavelmente de Coxa Bamba, lançou este LP em 1968 para mostrar ao mundo todo amor que sentia pelo seu cãozinho poodle (e constrangido!). Tá boa?

O blog Mexicovers dá esta preciosidade em mp3. E garante que é muito bom. Sério!


[Ouvindo: Taboo – Ken Hirai & M-flo]

Era o Rei astronauta?

Pensou que topete começou ontem, com o Elvis mandando ver na pelvis? Na-na-ni-na-não! Esta estátua ornamental em mármore tem quase 2000 anos!!! E acho que até o rosto é bem parecido com o dele.

Ela será leiloada esta semana pela tradicional Bonham's. Dá pra apostar que se for arrematada por um fã do Rei do Rock estará muito melhor guardada do que no museu mais seguro do mundo!


Mais Elvis aqui.

[Ouvindo: Write Once – Dessert]

As Certinhas do La Dolce
Gene Tierney

Selvagem.


[Ouvindo: Jogado Fora – Celso Murilo e Seu Conjunto]

Pausa para nossos comerciais

Detetive profissional – Curso por correspondência

E mamãe que me achava um inútil? Quero só ver agora! Este sensacional curso ensina técnicas dos agentes do Serviço Secreto e Serviços de Inteligência das Forças Armadas dos E.U.A!!! E em seis meses no máximo? Wow!


[Ouvindo: Mexico – James Taylor]

domingo, 27 de julho de 2008

O nome dele é Durban, K.O. Durban

K.O. Durban Contra o Monstro do Ártico

O Segredo dos UFOS - Onde se vê que o Baronet Keith Oliver Durban sabe descer da nobreza e enfrentar a patota do submundo.


Mais capas de livros com ilustrações do Benício aqui.

[Ouvindo: Town Without Pity – Gene Pitney]

Êeeee boi!

James Dean e Elizabeth Taylor passando o tempo nos bastidores de Assim Caminha a Humanidade (Giant, 1956).

[Ouvindo: Coconut – Harry Nilsson]

Faça você mesmo seu batuniforme

Quer impressionar os amigos e ainda sair por aí, nas sombras, dando porrada na bandidagem? No Evil Mad Scientist você aprenderá passo a passo como fazer este luxuoso (e exclusivo!) uniforme do Batman a partir de um simples guarda-chuva!!!

Depois é só Pow! Clam! Boing!

Ok, mas se me encontrar na rua, finge que não me conhece, tá?...


[Ouvindo: Light My Fire – Astrud Gilberto & Tom Jobim]

sábado, 26 de julho de 2008

Avec elegance

Embaixo da chamada sobre o Jânio no Kremlin tem outra mais bacana, injustamente com font menor: “A decadência de Hollywood”.

Em 1959 a revista Manchete já apontava pra morte de todo um sistema produtor de filmes. E logo Jayne Mansfield ilustrando a capa, a favorita Marilyn wannabe.

Queria saber o que esse povo diria se visse os lançamentos americanos de 2008. Refilmagens de todos os tipos, adaptações de quadrinhos, romancezinhos indie pseudo undergrounds e seqüências infinitas. Eram felizes e não sabiam...


[Ouvindo: Os Alquimistas Estão Chegando – Jorge Ben]

Caminho suave

Uma das piores coisas no show business é gente tentando vencer graças ao rostinho bonito...

[Ouvindo: Django – Vince Guaraldi Trio]

Love in Rio

Ok, aproveitando que é fim de semana, vale lembrar que Era Uma Vez..., nova película de Breno Silveira está em cartaz desde ontem (25).

Silveira, já entrou pra posteridade como o diretor de uma das maiores bilheterias nacionais. Você sabe, aquele filme sobre os filhos do Seu Francisco.


[Ouvindo: Come fly with me – Michael Bublè]

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Quanta diferença!


E a gente sabia que o Mr. T, aquele do Esquadrão Classe A, estava fora da carreira por problemas sérios de saúde.

Felizmente parece que isso é coisa do passado, foi visto sorridente gravando propaganda para os chocolates Snickers.

Como bem notou o The Sun, ele parece bem, mas seu moicano já teve dias melhores...


[Ouvindo: Se Me Paró – Chingon]

Pausa para nossos comerciais

Flatter Face – Seu espelho lhe dirá…

É o melhor nome que se poderia esperar pra um pó de arroz. Pra massa corrida idem!


[Ouvindo: Me & Mr Jones – Amy Winehouse]

Tempos modernos

O pior de ser barman são aqueles tipos que tentam caçar a noite toda e sem sucesso arrastam a asinha pro pobre trabalhador cansado em fim de expediente.

Mr. Asahi, o bonitão aí da foto não deve ter o mesmo problema, né? Ele é invenção de uma cervejaria japonesa, e com esse nome me espantaria se fosse lusitana. Já está trabalhando desde ontem (24) em um pub londrino sem horas extras nem nada.

De carinha tão simpática quanto a da Rose, a empregada limpinha que dormia no serviço, é competente ao ponto de atender cada cliente em 2 minutos. Ligado a um PC pode até falar, conforme comprovam os vídeos do site oficial.

Será que dá pra pedir choro? Duvidar de que uma dose são cinco segundos de líquido caindo?


Um oferecimento Geekets

[Ouvindo: You'll Lose A Good Thing – Barbara Lynn]

Related Posts with Thumbnails