quinta-feira, 2 de junho de 2011

Calúnia e difamação comunista

Desde os tempos de escola aprende-se que espalhar boatos sexuais sobre desafetos é uma espécie de ataque que causa mais alívio a quem executa do que no alvo. Um ataque e dos mais covardes!

Em política não é diferente, e claro que não seria mais diferente ainda diante da histeria anticomunista 60’s. Não basta comunista comer criancinha.

Na capa da Confidential, uma mãe acusa o ditador Fidel Castro de violentar sua filha adolescente. A Whisper vai em direção contrária, alegando que ele tem medo de garotas.

O americano (inteligente) que tenta-se contestar tais informações, claro, cairia na caça às bruxas macarthista. Podemos colocar em dúvida se algum ser inteligente perderia tempo com revistas sensacionalistas...

Pulp Internacional recorda que em 1957 a Confidential era recordista nas bancas, com espantosa tiragem de 4.000.000 exemplares. Seus editores lembravam aquela regrinha de que cada exemplar impresso é lido por pelo menos outras 10 pessoas.

Ambas pertencem aquele período do medo generalizado do ataque de mísseis cubanos, entre 60 e 62. As revistas do gênero não estavam mais em seu auge, mas retratando um vilão nacional desse jeito, ainda devem ter vendido bastante.

Veja também:
Fidel Castro: ator em Hollywood?
Pecado na Cidade dos Anjos
Figurinhas de la revolucion!
"Fui escrava sexual de Saddan"


[Ouvindo: The Stripper - Night]

2 comentários:

Moyses Ferreira disse...

Adoro um sex scandal!! capas lindas. de pendurar na parede!!! adoro.

Miguel Andrade disse...

Moyses, também ´penduraria. Muito amor por essas capas!

Related Posts with Thumbnails