sexta-feira, 25 de março de 2011

Os Jetsons: 5 tecnologias reais hoje

Produzido em 1962 pela Hanna-Barbera, Os Jetsons era uma forma de satirizar os costumes de sua época, os refletindo no século XXI. Exatamente o tempo em que vivemos.

Há alguns exageros, como os carros disco voador, cozinhar ou fazer as mais bucólicas ações do cotidiano simplesmente apertando botõezinhos. Releva-se, do mesmo jeito que sabemos que homens jamais conviveram com dinossauros conforme aparece em Os Flintstones.

1 – TV de Led ou plasma - Febre absoluta no começo dos 60, a televisão (chamada na dublagem brasileira de aparelho televisor), eram uns monstros grandes e pesados. Grande sacada notar que o tubo seria extinto no futuro.

2 – Monitor no desktop - Visto apenas na mesa do chefe, o rico Cosmo S. Spacely, onde constantemente conversa com a austera esposa por vídeo chamadas (Skype?).

Provável que a câmera seja embutida como em muitos computadores em 2011. Nem de leve aparenta ser uma TV da época também.

3 – Vigiar como está seu filho na escola/creche – Serve bastante comum via internet prestado por creches e escolinhas. Ainda só não é possível pegar o filho com uma garra mecânica de lá até em casa.

4 – Manter amizades à distância – O pequeno Elroy tem o hábito de bater-papo até altas horas com um amiguinho que não conhece, morador de Plutônia. Muito parecido à relação pai – filho -MSN, o pai precisa mandar ele várias vezes desligar e ir pra cama.

5 – Aparelhos de comunicação móveis – Ao fundo se vê alguns senhores entretidos em aparelhos similares a TVs portáteis. Mas também podem ser smartphones, distraídos em redes sociais como Twitter, com o mundo todo à volta.

Repare no senhor de chapéu à direita. Estaria lendo notícias num tablet?

[Ouvindo: L'Esperance – Artic]

13 comentários:

Leticia disse...

Senhores entretidos com seus smartphones, mas na fila do transporte coletivo - limpo, racional, rápido e eficiente. Essa modernidade, nós aqui no BR ainda não alcançamos...

Miguel Andrade disse...

Letícia, tem razão!

Daniel Tavernaro disse...

Um dos meus desenhos preferidos, tanta pela tecnologia, quanto pelas políticas sociais mostradas

Miguel Andrade disse...

Daniel, pra mim pela estética e os efeitos sonoros também. E eu não gostava dele quando era criança.

Ana Manssour disse...

Eu não perdia um só episódio dos Jetsons e tinah verdaeira paixão pela Rosie, empregada-robô.

Se a memória não me engana, as pessoas lá não estão numa calçada comum esperando pelo transporte coletivo. As calçadas nos desenhos dos Jetsons eram esteiras rolantes que transportavam as pessoas em pequenas distâncias paras as quais os coletivos ou espaçonaves indivioduais eram desnecessárias.

Aliás, olhando de hoje para então, é surpreendente que fossem todos tão esbeltos de corpo considerando que eram altamente sendentários, já que tudo era feito pela lei do menor esforço, apenas apertando botões ou falando. E, diga-se de passagem, 90% dos sonhos de consumo e de qualidade de vida das pessoas nos nossos dias ainda está representado no desenho dos Jetsons.

Miguel Andrade disse...

Ana, é uma esteira, daqueles comuns hoje atém em alguns supermercados. Aparece na abertura do desenho.

Também tinha pensado nisso. Todos esbeltos, num futuro bem idealizado.

Outro detalhe curioso, a mãe diz ter apenas 32 anos, e a filha tem 16. As pessoas eram precoces...

Daniel Tavernaro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Tavernaro disse...

Eu, quando tinha 15 anos, ainda brincava de pique-esconde. Sim, havia uma certa malícia e um flerte "sexual", mas um espírito ainda meio que criança. Já meu irmão, 5 anos mais novo, aos 15, já saia com amigos para azarar as meninas.

A sexualidade está, a cada geração, aflorando mais cedo. O motivo, se formos olhar, renderá muitas respostas. mas creio que, sim, cada vez mais a humanidade tem menos infância. Talvez "Os Jetsons" mostrava isso, porém só agora podemos entender: com a diminuição das interações interpessoais "ao vivo" e com uma grande rede de amigos desconhecidos e mundialmente interligados, o relacionamento pele-a-pele torna-se algo surreal a ponto de, quando acontecer, ter que se aproveitado até o último momento, fazendo de tudo e tudo de uma vez...

Dai para uma gravidez é um pulo.

Miguel Andrade disse...

Daniel, NOSSA! Meu sobrinho de 14 é um escândalo!

Mas acho que era comum nos 60's as pessoas casarem cedo. Minha mãe casou aos 21 e já falavam que tinha passado da idade.

Leticia disse...

Ana Manssour tem razão. De qualquer modo, não se previram nos Jetsons os congestionamentos de terceiro mundo. Nem as Donnas Simpsons* apertadoras de botão.

*Donna Simpson: paixão do meu sobrinho, que ganhou um livro dos recordes e tem de abrir naquela página todo santo dia. A mulher mais gorda do mundo a esperar um filho. Choque!

Miguel Andrade disse...

Letícia, TEEEEM!!! Congestionamentos terríveis! George Jetsons vive reclamando.

Vou googlar Donna Simpson.

william haddad disse...

EU NÃO ME PREOCUPO MAIS COM O TRANSPORTE COLETIVO....O TELETRANSPORTE JÁ JÁ ESTARÁ AI PARA RESOLVER NOSSO PROBLEMA MINHA PREOCUPAÇÃO MESMO É COM OS POLÍTICOS, HONESTOS POIS SÃO TÃO POUCOS QUASE NENHUM E NÓS BEM NOS TEMOS CARNAVAL SAMBA FUTEBOL BUNDAS CACHAÇA BUNDAS BUNDAS BUNDAS AH!!AS BUNDAS...EU JÁ FALEI NAS BUNDAS....

Miguel Andrade disse...

William, tomara mesmo que o teletransporte chegue logo. Será uma mão na roda, literalmente. :D

Related Posts with Thumbnails