quarta-feira, 22 de abril de 2009

Afagos entre gigantes

“Para mim, não existe ninguém maior que Billy Wilder. Ele é tão especial na vida como em seus filmes, e muito divertido” Federico Fellini

“Quando morre um ser humano como Fellini, não podemos nos refugiar na retórica, porque nenhuma flor de retórica se ajusta a ele. Uma grande quantidade de pessoas vai estudar seus filmes, vai analisá-los e tentar copiá-lo. E talvez algum dia se diga de alguma pessoa: “Seu filme é como um filme de Fellini.” Mas ele poderá ser apenas como um filme de Fellini. É nisso que se reconhecem as coisas realmente boas: não podem ser repetidas.” Billy Wilder

[Ouvindo: Soap Opera – Teddy Lasry]

18 comentários:

Glauco disse...

Que troca carinhosa de dois grandes mestres. Ontem finalmente consegui assistir I Clowns e é impressionante como o Fellini imprimiu uma assinatura em seu trabalho. Em poucos minutos e em qualquer cena é possível identificar - sem contar com os créditos - o autor da obra. Coisas de gênio.

Miguel Andrade disse...

Glauco, admiro muito nele, entre outras coisas, lógico, a linearidade das idéias. Não soa como David Lynch (guardando as devidas proporções) que é um monte de "loucuras" sem pé nem cabeça pra dar um efeito estético e cara de artístico.

Glauco disse...

Sim, concordo com você, e a questão estética na obra de Fellini é tão importante e tão característica quanto as idéias. Talvez por isso alguns atores recorrentes em seus filmes, como o Mastroianni, a Masina e a própria Ekberg como a bela, opulenta e sensual personagem (viu Bocaccio 70?). Interessante observar que Fellini surgiu na onda do neo-realismo, mas se talvez foi o cineasta que mais se distanciou dentro desta escola cinematográfica italiana.

Outra coisa, Lynch não é um cara pra se levar a sério, rsrs.

Miguel Andrade disse...

Glauco, verdade. Ajudam inclusive como forma narrativa. Amo Bocaccio 70 com as tentações do Sr. Antônio! hahaha

Não se leva Lynch a sério mesmo. Não mesmo! Humpf!

Glauco disse...

Bevete piú latte!!!

Miguel Andrade disse...

Glauco, a música vinha à minha mente no supermercado toda vez que eu ia pegar o leite na gôndula. Hoje em dia penso em água oxigenada.

Vou tentar achar isso no you tube. Lembro que uma vez achei.

Glauco disse...

Já eu nunca vi essa frase com "olhos inocentes". Talvez associo a imagem curvilínea da Anita e outras perversões da minha cabeça, sei lá...

Miguel Andrade disse...

Glauco, achei o vídeo no You Tube! http://www.youtube.com/watch?v=KkZe4qG97Ww

Glauco disse...

Miguel, isso é muito bom. Digno de qualquer antologia. Agora, quem foi o gênio que teve a idéia de juntar Romy Schneider, Sophia Loren e Anita Ekberg no mesmo filme? Carlo Ponti?

Essas mulheres me matam!

Miguel Andrade disse...

Glauco, não sei, deve ser! Mas é uma delicia. O SBT passava sempre de madrugada antigamente. Não sei como. E eu assistia todas as vezes. Sempre preferi mais o do Fellini.

Glauco disse...

Siiiiiiiiiiiiim, a primeira vez que vi esse filme foi em alguma madrugada do SBT, até pouco tempo eu tinha o VHS com essa gravação. Mas só passavam os episódios do Fellini e do De Sica, os outros só conheci em DVD. Além de estar dublado em inglês.

Miguel Andrade disse...

Glauco, meu E La Nave Vá era dublado em inglês... Uma pena! Tua edição de Bocaccio 70 é nacional? Saiu aqui?

Glauco disse...

Sim, é nacional editada pela Versátil, com uma qualidade de imagem muito boa, mas zero de extra. Inclusive o episódio do Fellini é maior que o exibido pelo SBT.

O seu E La Nave Vá era da videoteca da Folha?

Miguel Andrade disse...

Glauco era, da Videoteca Folha.

E DVD da Versátil pode ser zero de extras, mas o preciiiiiinho.... ¬¬

E o meu Amarcord que é edição italiana e vem só com o trailer de bônus? :( Humpf!

Glauco disse...

Os preços da Versátil são um crime, mas eu sempre fico de olho nas promoções do Submarino e da 2001 Vídeo. Lembro que comprei Boccaccio 70 por um preço bem camarada.

O meu Amarcord é da Continental, uma tristeza só...

Miguel Andrade disse...

Glauco, mas a Versátil bate no peito de que os seus DVDs são com copyrigths legais. O meu Querelle tem uma imagem excelente, assim como Teorema.

E falando nisso em copyrights corretos, você lembrou da Continental... Hehehehe

Além de suspeitos, os discos dela são com matéria prima tosquissima. Capa parece xerox colorido, estojinho plástico igual ao dos camelôs e o preço é absuuuuurdo!!!!

Nos idos do VHS a Continental já era careira.

Glauco disse...

Mesmo sendo copyrights legais, acho que poderiam comercializar com preços menores (se bem que não conheço a cadeia produtiva do ramo). Já a Continental de fato é careira de priscas eras e como você descreveu, com um acabamento péssimo em todos os quesitos. Mas tem muito filme bom que só ela colocou no mercado brasileiro, fazer o que?

Se eu pudesse, teria uma empresa do ramo só para lançar os filmes mais loucos e obscuros no mercado, ai, ai...

Vou dormir meu bom, boa noite!!!

Miguel Andrade disse...

Glauco, eles alegam a tiragem limitada, blablabla...

Mas tem aquela Opus, que começou bacaninha, foi elogiada pela mídia, se empolgou e colocou seus valores nas alturas :(

Boa noite.

Related Posts with Thumbnails