segunda-feira, 31 de março de 2008

Os piores logos do mundo! Parte 1

Produtos Faísca


Essa diaba de biquíni, parecendo a prima mais safada do Brasinha, existe basicamente pra vender molho de pimenta tipo exportação. Segurando uma bandeirinha com os dizeres “Made In Brazil” tem uma mensagem bem clara: “Ei gringo malandrão! Vem quente que nós brasileiras estamos fervendo!” O que não é nenhuma novidade em termos de estereótipos, coisa e tal, né? Tão demodé que chega a ser bonitinho. O site (clique no nome) bilíngüe parece tão caseiro quanto os produtos que comercializam...


O Gordão Lanches


Até chego a admirar os culhões de uma rede de fast food que nos dias de hoje sustente este nome, com mascote com quilos a mais e tudo! Parece aquele monstro que os Caça-Fantasmas combatem. Com sede em Campinas, interior de SP, divulga aos quatro cantos que existem a 25 anos. Aplausos! Sabe Deus porque só fiquei sabendo deles a uns meses... Ah sim, o principal produto é o lanche com uns 15 cm a mais que o Big Mac. Pra quem acha que ainda há poucas calorias pra fazer jus ao nome do local, dá pra besuntar com um molho que parece ser maionese com azeitonas pretas, mas o garçom teimou que era mostarda! E se a gente chegar lá e não desligar os faróis eles atendem no carro mesmo, o que economiza carón, né? E dá a sensação de estarmos num drivin, não daqueles pra fazer sacanagem, mas dos que passavam filmes. Falando em filmes, as mocinhas que atendem têm humor semelhante às daquelas que aparecem nos roadmovies servindo café em lanchonetes da beira de estrada.


Starbucks


Se não soubesse, assim, só pelo logo, juraria se tratar de uma loja de produtos pra candomblé... Gostam de ostentar que vendem o melhor café do mundo, mesmo sendo aguado pra chuchu. O forte lá, os melhores do mundo sem sombra de dúvida, são os muffins. Depois do deles, qualquer outro vira bolinho assado em forminha de papel. Principalmente os de blueberry, com seu bizarro sabor igual ao das borrachas cheirosas da Turma da Mônica que as meninas costumavam usar na escola. Muito bom!

[Ouvindo: Low Grades And High Fever – Lindy Lane]

domingo, 30 de março de 2008

Maila Nurmi - R.I.P.


Deve ser mentirinha de que as notícias ruins andam de pressa! Só fiquei sabendo agora que a atriz e apresentadora Maila Nurmi faleceu no começo deste ano, de causas naturais, aos 86 anos. Ela ficou famosíssima em lá maior como Vampira na década de 50 ao apresentar filmes de terror na TV. Tão popular que é apontada pelos biógrafos como um dos affairs de James Dean! Até que veio a famigerada caça às bruxas, quando muitos artistas com qualquer resquício de ligação ao comunismo viram suas carreiras ruir. Coube-lhe bater à porta de Ed Wood Jr., o pior diretor de cinema de todos os tempos. Ela aparece em Plan 9 From Outer Space usando a mesma roupa do programa (assumidamente inspirada na Morticia Adams), e sem falas pra não queimar seu filme (literalmente) de vez. Nos 80, vivendo como pacata dona de casa, processou algumas vezes Elvira, a Rainha das Trevas (Cassandra Peterson) por ter roubado seu show, como bem deve saber quem assistiu à maravilhosa cinebiografia sobre Ed Wood, feita por Tim Burton. Clique aqui para ver uma cena bem rara do programa de TV 50's, inestimável cortesia do site Vampira’s Attic.

[Ouvindo: As Tu Déjà Aimé? – Alex Beaupain]

Faça Feio: Dentadura de zumbi!




Se também acha que não há monstro cinematográfico mais condizente com os dias de hoje do que zumbi, este post é para você! Já que metade da população parece estar mesmo em estado catatônico, babando por aí, está na hora de nos disfarçarmos para o bom convívio. Impressione seus amigos com legítimas dentaduras que podem ser tanto pra morto-vivo quanto vampiro, se tua linha for clássica. Este tutorial escaneei da minha coleção de revistas. Foi publicado no especial da Set Terror e Ficção em 1991, usando material dito “fácil de achar”. Parece que o efeito é bem legal, clique nas imagens para aumentar. Daí é só decorar a letra do messiânico hit “Tá dominado! Tá tudo dominado!”...

[Ouvindo: Sexy – Armando Sciascia]

sábado, 29 de março de 2008

Como baixar mp3 usando Google


Durante muitos anos usei o bom e venho Multiply pra baixar aquele som de forma “liberô”. Mas como esperava dês do primeiro dia que descobri a mamata, agora acabou, miou, subiu no telhado! Desconfiava também, e acredite, sou deveras desconfiado, mas às vezes esta desconfiança demora pra resultar em alguma coisa, que dá pra achar maravilhosas musiquetas através do Google, digitando as palavras certas no campo de busca. Mas vá com calma, porque o Google é mãezinha pra tudo, mas nunca foi tia! Nem sempre se acha logo de cara, mas se acha muita coisa bacana, bacana com paciência, como pra tudo nesta vida! Coloca o seguinte:

intitle:"index of" +"last modified" +"parent directory" +description +size +(wma|mp3) bjork

Confio tanto na sua esperteza que nem precisarei contar que ao invés de "bjork", você coloca o nome que bem entender! Quanto menos “do momento” for a música, ou artista, melhores a chances dos links te levarem pra algo que preste. Também não adiantará colocar Juvelina Pérola Negra, que obviamente você dará com os burros n'água! Por exemplo, com Björk consegui facilmente, já Amy Winehouse necas! Ah, não vale pagode, funk carioca ou música sertaneja. O mecanismo de busca bloqueou tais gêneros porque não prestam. Ok! É mentira! Tente achar o que bem pretender... Humpf! Bom proveito!


[Ouvindo: EraseRewind – The Gardigans]

sexta-feira, 28 de março de 2008

A eterna imitação da arte


Filmes deveriam ter seu sucesso medido muito mais pelo impacto cultural do que a bilheteria em si! Veja o caso de O Exorcista, que em 1973 causou um estardalhaço daqueles, sendo até hoje um dos poucos filmes de horror a levar Oscars para casa. Em contrapartida choveu na imprensa da época casos de pessoas assumindo se assumindo possuídas pelo capeta... Várias igrejinhas igualmente proliferaram prometendo mandar o tinhoso pra bem longe. É da mesma época, aliás, a inauguração da Igreja Universal do Reino de Deus! Tubarão teria gerado além do medo de se ir à praia naquele verão de 1975 inúmeras imitações cinematográficas. Mesmo quem tinha uma destas câmeras caseiras Super 8, espécie de Tekpix daquele tempo, fez seu Jaws. Graças ao mundo maravilhoso do You Tube, Shark, produzido por um grupo de crianças daquela época pode ser assistido agora! Em 1991 fiz meu próprio vídeo com vampiros, de tanto assistir a novela Vamp, enquanto aguardava com ansiedade o Drácula de Coppola estrear. Mulheres Adoráveis Jugulares trata de amores de outras vidas revelados por amuletos milenares, morceguinhos que voam com fio de nylon, dentaduras grudadas com chiclete e uma frase para os anais! Quando a “atriz” principal no clímax da trama troca a palavra jugular por ejacular...

[Ouvindo: An Affair To Remember – Vic Damone]

quinta-feira, 27 de março de 2008

A dura vida dos principiantes


Sempre precisa-se começar de algum ponto! No caso da Daryl Hannah foi como adolescente cabeça oca no filme sobre paranormalidade A Fúria. Chance concebida por ninguém menos do que Brian DePalma em 1978, o que se pode chamar de começar bem, mesmo tendo só três cenas, dizendo duas frases em uma delas! Elijah Wood, O Frodo de O Senhor dos Anéis, era só um pimpolhinho quando peitou Michael J. Fox, no segundo de Volta Para o Futuro, e Fran Drescher, do seriado The Nanny, agarrou na bunda de John Travolta em Os Embalos de Sábado à Noite. Estes também tiveram texto! Se pensarmos que cada filme tem no mínimo dezenas de extras que jamais saberemos o nome... Há casos curiosos como o de Ed Fury, que nunca chegou lá! Entrou mudo e saiu calado em Nunca Fui Santa da Marilyn Monroe, e ainda nos 50’s posou peladão. Tais fotos, que nos dias de hoje são facilmente encontradas na internet, o transformaram numa espécie de celebridade. Antes, no máximo estrelou produções épicas classe Z na Itália, do tipo “Espada e Sandália”. Ursus na Terra do Fogo está longe das suas pretensões de ser uma espécie de Ben-Hur. Agora bizarro mesmo é a lenda que diz que o ditador cubano Fidel Castro(!!!) também aparece fazendo figuração em Escola de Sereias, aquele musical hollywoodiano da Esther Williams. Vou procurar de lupa!

[Ouvindo: A Shot In The Dark – Henry Mancini]


PS1: Ha algum tempo, tipo dois (!!!) anos, já tinha falado sobre Ed Fury aqui. Quando descobri a participação em Bus Stop e publiquei no Flickr. Detalhe, muito me envaidece ter causado na época certa polêmica por lá, já que até então nem o IMDB tinha tal informação!

PS2: Nem preciso dizer que cada palavra em negrito tem um link comprovando as aparições, né?

terça-feira, 25 de março de 2008

Marilyn Monroe rara e de graça!


Vamos falar de celebridades! Celebridade mesmo!!! No sentido célebre da palavra, né? Uma maria-mole azul pra quem acertar quem é o bebê... E espanta os tesouros que às vezes pode-se encontrar ao acaso. Nas bancas, por exemplo, como um DVD obscuro de Marilyn Monroe ao custo de duas paçoquinhas e um Babaloo sabor uva! Ele continha dois filmes: De Menina à Mulher e A História Real. Sendo que De Menina a Mulher nada mais é do que Home Tow Story, filme que antigamente era difícil de ser achado, mas que já tinha saído com o título História de Uma Cidadezinha. Antes no Brasil era chamado Em Cada Lar Um Romance. Enfim, A História Real tratava-se do documentário The Legend of Marilyn Monroe de 1966, apresentado e narrado por John Huston que, como o próprio lembra, a dirigiu em seu primeiro sucesso (O Segredo das Jóias) e no último (Os Desajustados). Feito numa época em que muitas personalidades de sua vida ainda estavam vivas, até a sua professora do primário depõe sobre a jovem Norma Jean! Fora isso, há centenas de fotos e filmes verdadeiramente raros de seu cotidiano e de bastidores, e olha que já vi coisas da Marilyn pra chuchu! Olha só, com uma conexão de fôlego, também dá pra baixar no Internet Archive de graça porque é de domínio público. O arquivo mais leve (MPEG4) pesa 56 MB e o maior (MPEG2, qualidade DVD) 2.1 GB, sem legendas em português, obviamente. Vale cada KByte... Vai por mim, Nenê!

[Ouvindo: O Mio Signore – Edoardo Vianello]

domingo, 23 de março de 2008

A neta mais esperta de Francisco


Não se sabe se é motivo pra pena ou trata-se de tremenda malandragem o triste fim da carreira(!?!) de Wanessa Camargo! Como malandro é gato que já nasce de bigode e só namora gatinhas, é melhor alguém dizer pra moça que há limites até pra ser trash. Mesmo com dotes vocais limitados e com os já mais que passados minutos de fama à custa do pai, viaja de combe(!!!) pelo interior pra ganhar uns trocados. Sem banda, usando um CD como acompanhamento, sem bailarinos, figurino ou qualquer recurso que até a mais furreca do show bussiness com o mínimo de investimento possui! E depois a mãe vai exibir pintura em ouro pra revista Caras! Wanessinha fez um show em Itapeva (SP) no dia 15 de Março, que ao invés de começar às 0hs foi lá pras 1h30 e às 2 da madruga já tinha picado a mula, linda! Estava como se vê nesta foto vestindo um trapézio, e a cachola ornada por uma tiarinha. Tudo tão fransciscano que boa parte do povo da cidade achava se tratar de uma cover!!! Olha! Tem vídeo no You Tube com ela "cantando" funk naquela noite! Carreira para baixo e avante! Faça um esforcinho e assista até o final pra ver que profético: Chão! Chão! Chão! Chão! Chão! Chão!

[Ouvindo: Tempo Bom (Gaining Through Losing) – Juliana Aquino]

sexta-feira, 21 de março de 2008

J-Pop pra brasileiro ouvir


Mundinho globalizado é isso aí! Leeeembra do Ken Hirai? Aquele cantor japonês de R&B hit no You Tube com Pop Star? Música tolinha, mas de grude mental tão instantâneo quanto miojo? Enquanto a carreira dele não decola no ocidente por vias normais (leia-se muito jabaculê da gravadora, como era comum em épocas pré mp3), vai-se levando como pode! No caso, foi lançado um CD com algumas canções dele interpretadas por outros, mas em português. Aposto que Song Book Brasilian Divas (com “s” mesmo!) foi feito pro povo daqui que mora lá, já que nunca se ouviu falar no projeto, né? Parece ser uma bizarria só! O nome mais famosinho é o da Claudia Telles, e o de Juliana Aquino, que batalha um lugar ao sol a bastante tempo. E uma vez que corri atrás de um disco do moço na Liberdade e além de nem achar nada o vendedor jurou de pés juntos que o Ken Hirai era brasileiro? Nem fui louco de teimar, porque além de saber pouco sobre o astro, (e a Wikipédia também nunca me disse nada a respeito das raízes tupiniquins dele), a cautela me faz jamais entrar em atrito com asiáticos. Sabe-se lá que tipo de mega ultra arte marcial pode ter aprendido desde criança? Eu hein, Rosa!

[Ouvindo: Kid Cavaquinho – Maria Alcina]

terça-feira, 18 de março de 2008

re - mi - do - do - sol


E acredito sim senhora que haja vida inteligente em outro planeta, mas não exatamente da forma como o pessoal do Projeto Alpha + Ômega, Missão: Terra, código de operação 3-2-1.0!!! Sci-fi demais! Anunciam no Google Adsense ali em cima e tudo! Fui lá ver e achei absolutamente retrô! Parece um site de 1999, com direito a gif animado, fundo colorido, etc. Há também certa misturança de cristianismo com palavras difíceis do tipo ENCON-ESPACITÔMELES... Desculpe a caixa alta, mas copiei e colei assim mesmo. Deu também um certo medinho, ainda mais o lance do Homem Chamado Raul, porque parece matéria prima pra filme em preto e branco. Daqueles estrelados pela Mamie Van Doren, a Lana Turner dos pobres. Tentarei enviar pra eles algum dos casos que presenciei. Devem gostar de saber que num deles foi exatamente como apareceu no primeiro episódio do Arquivo X! Mas não foi nada muito especial a ponto de mudar minha vida. I.F.O. do Deee-Lite parece ter sido mais significante!

[Ouvindo: The Love You Save (May Be Your Own) – Joe Tex]

segunda-feira, 17 de março de 2008

Kung Fu, zumbis e adjacências


Há quase um mês (27 dias especificamente) que não cedi à tentação de brindar minha DVDteca com a aquisição de Zumbis do Kung Fu, custando não muito mais do que duas paçoquinhas no hipermercado Extra de Jundiaí. Não levei pra provar que DVD não é um vício. Quando quiser parar eu paro! Mas por via das dúvidas o escondi atrás de uns infantis, porque também não sou bobo nem nada, né? Ontem descobri que mesmo com tanta gente circulando por lá tamanha preciosidade continua exatamente no mesmo lugar! Me esperando! É quase como aquele The Vampire Lovers a 5 mangos no Ponto Frio do Maxi Shopping. Faz anos que o vejo ali, e não há uma criatura que leve pra casa tal tesouro estrelado por Ingrid Pitt e Kate O’Mara!!! Dá vontade de comprar este de novo! De qualquer forma, continuarei contando os dias, porque acho improvável que ninguém mais ache a junção das palavras zumbi e kung fu flamejantes!

[Ouvindo: Batuque na Cozinha – Clementina de Jesus & Pixinguinha]

domingo, 16 de março de 2008

Revista Zingu! edição 18


Zingu! é uma revista digital dedicada ao cinema com visual verdadeiramente simplório, mas de conteúdo ímpar na (sempre miserável) Internet em língua portuguesa do Brasil. Mensalmente Matheus Trunk (junto a um monte de gente) deve dar um duro danado para conseguir não raras vezes resultados imprescindíveis sobre filmes que interessam. E eu que ainda gasto dinheiro comprando a Set? A edição 18 já tá no ar, mas fuçando por lá se encontra todas as outras. Este mês eles se apressam em celebrar o jubileu de ouro (!!!) de Um Corpo Que Cai (Vertigo), obra máxima de Alfred Hitchcock, inclusive com trecho da entrevista para Peter Bogdanovich sobre a película. “Fiquei muito intrigado com a situação básica, porque incluía tantas analogias sexuais.”, disse despido daquela persona bobalhona que tanto primava. Pra salvar, guardar, imprimir, favoritar e não se esquecer de voltar ao http://revistazingu.blogspot.com/ todo santo mês! Amém!

[Ouvindo: Wie A Glockn – Marianne Mendt]

sábado, 15 de março de 2008

90's Longa Vida


E a gente gosta de celebrar as coisas fofas do mundo também, né? Tinha aquele clip do Blur (Coffe & TV) com a caixinha de leite azul que perambulava até achar a sua cara metade em forma também caixinha de leite cor de rosa. Um dos mais bonitinhos 90’s , do tempo em que a MTV do Brasil tentava valer alguma coisa. Achei este paper toy aqui onde você pode ter sua própria caixinha carente!!! Sem nada pra fazer e tinta de impressora dando bobeira... Hã? Pode ser no rascunho mesmo, porque a minha ficou ok com o cartucho botando a língua pra fora. Aproveita e reveja (ou veja) o vídeo, que é bacana, bacana!

[Ouvindo: Se Me Paró – Chingón]

Related Posts with Thumbnails