domingo, 13 de fevereiro de 2005

Almas Gêmeas


E se ter filho fosse bom a gente comprava, não brotavam por aí aos montes! E quer me enojar é ver estas celebridades exibindo o barrigón como se fosse grande coisa. E ainda ganham uns trocos com algo absolutamente natural. E depois o escroto sou eu, né? Já até quis ter um Toshiozinho, tal e qual (esteticamente, leia bem!) aquele de O Grito, mas fui ficando quietinho, quietinho e a vontade passou... Não engulo esta conversinha de que o mundo está absolutamente insuportável para se parir um piá. O mundo continua insuportável como sempre foi, os piás é que crescem e fazem surgir mais e mais piás insuportáveis, iguaizinhos uns aos outros. Se um dia (quem sabe) eu virar um veinho mega-ultramilionário, deixo tudo para minha coleção de felinos. Devidamente castrados, of course! Aliás, pensei durante um tempo na beleza do instinto de colocar outra criatura neste planetinha, hoje acho triste que mesmo pessoas "inteligentes" não consigam superar este instinto. A Miss Glenda também não, sabia? De dois em dois meses taco-lhe Prevegest goela abaixo. Assim mesmo, dona Glen tem muito em comum até com aquela física nuclear com doutorado sabe lá onde, que numa tarde de verão sentiu os tambores do instinto lhe implorarem por uma cria. E pobre de marré com 30 filhos? E com um ou dois? É de ter pena? Cria uma samambaia, ué! Que além de não fazer a-b-s-o-l-u-t-a-m-e-n-t-e barulho algum, ainda não te mandará tomar no cu ao surgir as primeiras espinhas na cara. E comparar gente com planta e bicho é sempre medíocre, mas me deu vontade. Instinto de coice talvez, né? Mas deve ser assustador ter um petit aos nossos cuidados, né? Outro dia achei nada mais do que uma bolinha (!!!) de mouse no cocô do Boris e fiquei em pânico. E se ele se engasgasse, eu nem ia saber da causa mortis... Sem falar que entrar sempre entra facinho, né? Minha mãe sempre contou que certa vez uma das minhas irmãs engoliu um pneu de aviãozinho, outra meteu um feijão na narina e outra ainda teve que engessar o braço após este que vos digita atirar-lhe um tênis. E a do pneu ainda teve que fazer uma cirurgia a laser depois que (adivinha quem?) enfiaram-lhe um lápis no braço e a grafite ficou enterrada na pele. Nota-se que filho exemplar sempre fui, né?


[Ouvindo: Duvet(accoustic version)-Boa (Serial Experiments Lain)]
Related Posts with Thumbnails